domingo, 18 de setembro de 2011

Idílio



Para além do que somos
(ou pensamos que somos)
Há o que sentimos
Eis a verdadeira beleza
O que encanta, fascina...
Não carece ser dito
Nem explicitado de forma alguma
Está ali
No suor nas mãos...
(e agora, o que fazer com elas?)
Num olhar que denuncia
O desejo e o medo
Na hesitação da palavra
Que quase não sai, engasgada
E do nada... desata!
e escapa tagarela
E num segundo cala
E um beijo cai
Bem no meio de um haicai
Bem no meio da sala
Falta o ar e sobram quereres
Benvindas sequelas
De futuros prazeres

AnaCris


Um comentário:

Bruno Gaspari disse...

"...E um beijo cai bem no meio de um haicai, bem no meio da sala" eu adorei isso rs tive de destacar para enriquecer meu breve comentário te deixando parabéns e um abraço!

Bruno