QUEM SOU EU

Como Fernando Pessoa, não tenho filosofia, tenho sentidos. E uso todos os que tenho à mão, que acredito serem muito mais do que seis. Saboreio, cheiro, apalpo, escuto, enxergo, intuo... Imagino, percebo, rodeio, pensamenteio. Em especial, o que não tem tempo nem lugar.


Respiro São Paulo por todos os poros.
Carrego a humanidade nos olhos de socióloga.
Destilo feminicidadania com a língua de mulher.
Penetro fundo nas almas como uma águia.
Sofro de diabetes literária e humana.
Não tolero coisas muito meladas.
Padeço de estranha alergia a vampiros sociais, tiranos e hipócritas.
Cultivo o tempo desde nascença, agora na quartessência.
Liberto silêncios em folhas de papel.
Moldo as palavras com o corpo dos sentidos.

Queria ser médica e já achei que podia curar o mundo: estou aprendendo a deixar minhas plaquinhas por aí.

PERFIL