sábado, 12 de janeiro de 2013

Trecho de Samba para Don Casmurro, de Michel Melamed


"...
Eu sempre achei que o amor, o grande amor, fosse incondicional. Que quando duas pessoas se encontram, que quando esse grande encontro acontece, você pode trair, brochar, dar todas as porradas, se for um grande o amor, ele voltará triunfal. Sempre. Mas não, nenhum amor é incondicional, então acreditar na incondicionalidade do amor, é decididamente precipitar o fim do amor, porque você acha que esse amor aguenta tudo, então de um jeito ou de outro você acaba fazendo esse amor passar por tudo, e um amor não aguenta tudo, nada nesse vida é assim. E aí você fala que esse amor não tem fim, para que o fim então comece. Um grande amor não é possível, talvez por isso seja grande. Então, assim, nele, obrigatoriamente, pode caber também o impossível. Mas quem acredita? Quem acredita no impossível, que não apaixonadamente? Como a um deus, incondicionalmente.
..."

Nenhum comentário: