sábado, 12 de dezembro de 2009

EU ODEIO RODEIO

                                                                                                     
Não me venha com segredo
Eu gosto das palavras claras
Gosto do que diz a que veio
Tenho horror a rodeio
Não escondo minhas caras
Já conheço bem esse enredo
Fazer jogo de “esconde” é arremedo
Quando vier à garganta, disparas
Tudo o que tens aí dentro, teu receio
O que escondes aí é tão feio
Que não cortas, só aparas
O que não podes mostrar: o teu medo



Nenhum comentário: