sexta-feira, 21 de março de 2008

Palavras não ditas, sentimentos guardados


Quando te chamo
quero que me peças abrigo

Quando pergunto o que fazes,
Quero que me fales dos teus sonhos

Quando penso em ti
É a memória do teu cheiro que procuro

Quanto te escuto,
Sinto antes a vibração do teu corpo

Quando lembro de ti
Estou atendendo o teu chamado

Quando te espero,
quero que sigas também os meus caminhos

Quando peço sexo e prazer
Quero que me faças um afago

Quando digo que quero te comer,
Quero que despertes ao meu lado

Quando digo que quero a tua presença
Quero em ti o que não é matéria, a tua consciência

Quando me tocas
Posso adivinhar a história do teu corpo

Quando me negas tuas mãos
Estás negando os teus desejos

Quando entro no seu pensamento
Estou te recuperando do cansaço

Quando te entrego o meu corpo
Estou pedindo que tomes minha alma

Se contenho minhas lágrimas
É porque quero que possas chorar

Se eu digo que não sei
É porque quero antes os teus anseios

Se te peço pra ficar comigo
Quero abrandar a tua ansiedade

Quando ofereço meu colo
Quero abrigar os teus ideais

Quando digo que não me importo
Quero que sejas meu namorado

(Para alguém que aguçou os meus sentidos, mas teve medo de abrir a caixa e não conseguir segurar o turbilhão que tem dentro)

Ana Cristina Martins
*Publicado em 20 de agosto de 2005

Nenhum comentário: