sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

NIETZSCHE - Alguns pensamentos que me aguçam os sentidos

Nietzsche nos apresenta uma grande provação: decidir-se pela solidão ou a um "seja bem vindo" pelos "animais do rebanho". Criar os próprios valores não é para as "ovelhas", é para os "espíritos livres".

"Odeio quem me rouba a solidão sem em troca me oferecer verdadeira companhia."

"Não há ninguém mais inferior do que aquele que reclama ser igual!"

"As convicções são inimigas mais perigosas da verdade que as mentiras."

"Não pretendo ser feliz, pretendo ser verdadeiro."

"Cisto morreu cedo demais. Se tivesse vivido até à minha época, ele teria repudiado a sua doutrina."

“Aquele que luta com monstros deve acautelar-se para não tornar-se também um monstro. Quando se olha muito tempo para um abismo, o abismo olha para você"

"Aquilo que não me destrói me fortalece"

"A violência nasce da fraqueza."

"Somente aquele que possui uma fé profunda pode se dar ao luxo de ceticismo."

"Sempre há um pouco de loucura no amor, porém sempre há um pouco de RAZÃO na LOUCURA. "

“Por fim amamos o próprio desejo, e não o desejado.”

“Fé significa não querer saber o que é verdadeiro.”

“Nenhum preço é alto demais quando se paga pelo privilégio de ser dono do próprio nariz.”

"É preciso ter um caos dentro de si para dar à luz uma estrela cintilante.”

“...todas as ações são auto-dirigidas, todo serviço é auto-serviço, TODO AMOR É AMOR PRÓPRIO.”

"A diferença fundamental entre as duas religiões da decadência: o budismo não promete, mas assegura. O cristianismo promete tudo, mas não cumpre nada."

"A moralidade é o instinto do rebanho no indivíduo."

"Desconfio de todas as pessoas com sistemas e as evito, pois a necessidade de um sistema constitui uma falta de lealdade".

"Eu sou uma floresta, sem dúvida, e uma noite de árvores escuras, mas quem não teme minha escuridão encontra também roseiras debaixo dos meus ciprestes."

"Tenho um porquê de viver e posso enfrentar qualquer como...”

"De uma vez por todas, há muitas coisas que não quero absolutamente saber. - A sabedoria traça limites, mesmo ao conhecimento.”

"O que se pode prometer:
Pode-se prometer atos, mas não sentimentos;
Pois estes são involuntários.
Quem promete a alguém amá-lo sempre, ou sempre odiá-lo ou ser-lhe sempre fiel, promete algo que não está em seu poder;
Mas ele pode prometer aqueles atos
Que são conseqüência do amor, do ódio, da fidelidade,
Mas também podem nascer de outros motivos:
Pois caminhos e motivos diversos conduzem a um ato.
A promessa de sempre amar alguém significa, portanto:
Enquanto eu te amar, demonstrarei com atos o meu amor;
Se eu não mais te amar, continuarei praticando esses mesmos atos,
Ainda que por outros motivos:
De modo que na cabeça de nossos semelhantes permanece a ilusão
De que o amor é imutável e sempre o mesmo.
Portanto, prometemos a continuidade da aparência do amor quando,
Sem cegar a nós mesmos, juramos a alguém amor eterno."

Um comentário:

Anônimo disse...

O seu Blloger é de um refinado bom gosto, parabéns!!!


GSS.