quarta-feira, 2 de junho de 2010

ELE

Ele é meu capricho
É o meu bicho de pé
Ele me tira o sono, me faz cafuné

Ele me vem pedindo indecente
Pra eu lhe dar com vontade
E vem com força, com saudade

Ele é meu galã de Hollywood
Meu filme do Tarantino, e também iraniano
É meu herói do cinema, meu guerreiro romano

Ele é meu mosaico, meu quebra-cabeça
Meu chocolate com banana
É o meu melhor trabalho da semana

Ele é qualquer poesia de Vinícius
É a minha seleção brasileira
Um gostoso banho quente de banheira

Ele é meu símbolo sexual, meu ator pornô
Ele é minha dúvida cruel
É meu tiro no pé, meu escudeiro fiel

Ele é meu tudo e meu nada
É tudo de bom, meu bem e meu mal
Minha marca de nascença, meu sinal

Ele é o começo do fim, o início da vida
Ele é meu piercing, minha tatuagem
É a minha maior viagem

Ele é meu destino e meu karma
É o meu gigolô pós-moderno
Vou com ele feliz até o inferno

Ele é o meu prato predileto
É o meu perfume preferido
Minha intuição, o meu sexto sentido

Ele me vira do avesso, me tira do sério
Depois, insolente, se aninha no meu peito
E entra nos meus sonhos, do seu jeito

AnaCris Martins

2 comentários:

NDORETTO disse...

Bonito isso:
"
PENSAMENTEANDO
Medo de altura?
Deixa a cabeça "avoar"
que pensamento não cai! "

Gosto de sacadas assim,bjs
neusa

Geraldo de Barros disse...

ele é foda hehe

lindo poema, querida

beijo,
G.