quarta-feira, 11 de julho de 2012

Chico Buarque... sempre Chico!



"A sua lembrança me dói tanto... e eu, canto pra ver se espanto esse mal. Mas só sei dizer um verso banal: fala em você. Canta você. É sempre igual.

Sobrou desse nosso desencontro um conto de amor sem ponto final, retrato sem cor jogado aos meus pés. E saudades fúteis. Saudades frágeis. Meros papéis.

Não sei se você ainda é o mesmo, ou se cortou os cabelos, rasgou o que é meu. Se ainda tem saudades e sofre como eu, ou tudo já passou. Já tem um novo amor. Já me esqueceu." 


Chico Buarque

Nenhum comentário: