segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Passa tudo




Tudo passa, passa tudo
Passa boi, passa boiada
Passa o cara carrancudo
Passa o paulista com pressa
Passa o trem, o carro
Passa tudo tão depressa
Passa até o pigarro
Passa o tempo, a hora
o momento de ir embora
Passam as dores do mundo
Passa o minuto e o segundo
Passa a paisagem na estrada
Passa o dia da tua chegada
Passa toda uma vida,
A amizade mais querida
Passa a dor, a doença,
Passa toda a desavença
A infância despercebida
E até a ofensa descabida
Passa o sono, passa a sede
Passa a vontade de comer
Passa tudo fazendo poeira
Passa, queira ou não queria
Só não passa de jeito maneira
Essa febre de você!

AnaCris

Nenhum comentário: